4.0 estrelas fantasia urbana

Resenha: Capital Revelada, Atlas Moniz

14:06neo

Capital Revelada
Atlas Moniz
★★★★

O limite do vazio, emoções tomando forma. Olhos que o encaram do negrume, o espectro de um garoto há muito morto, uma realidade oculta. Para Luiz Azevedo, universitário e historiador em formação, tudo começa com uma foto velha, presumivelmente da década de 1920, de um jovem com feições do leste asiático: um rapaz que parece sair da foto para assombrar seus dias e noites, que parece segui-lo nos melhores e piores momentos.
Uma relação abusiva, uma tentativa de suicídio, um jovem socorrido em mais um de seus piores momentos. O tal Marcos Castelo Branco (ou Marcos Akiyama?), colega de faculdade de ascendência asiática, tem uma semelhança assustadora com o retratado na foto de oitenta anos antes. Quando Luiz e Marcos começam a se conhecer, quando seus destinos começam a se entremear, as grandes questões parecem uni-lo em um confronto contra o desconhecido: quem é o rapaz da foto e por que ele se parece com Marcos; por que ele insiste em observá-los de perto, das portas de seus quartos, parado e inexpressivo como uma estátua de mármore, morto há décadas?
Tudo começa e termina com uma foto.
Comecei a ler esse livro um tanto hesitante. Dessa vez não por ser nacional (ha!), mas sim por ser fantasia urbana, um subgênero de fantasia que não curto tanto assim, e por ser de um estilo que com toda certeza desse universo não tem nada a ver comigo ou com nada que eu leio e gosto. Capital Revelada me lembrou um tanto umas paradas mais, hm, não de gênero, por assim dizer, e bem... eu costumo não gostar de nada que não seja de gênero, ou seja, que não seja de fantasia, sci-fi, etc. Então Capital Revelada não é exatamente o tipo de livro que eu escolheria pra ler tendo como base a sinopse/o estilo.

Pra piorar, sou total por fora das obras que o autor menciona como influência. Provavelmente tem um monte de coisa que passou voando por mim por causa disso (como aconteceu com Limbo, aliás. Quando eu digo que vivo em uma bolha...).

Mas teve uma época que ele ficou de graça e bem, por que não? As primeiras páginas se mostraram interessantes o bastante e eu não fazia ideia de qual seria meu último livro de 2015, então puf, fui com Capital Revelada mesmo. E não me arrependi.

Meu santo continuou não batendo com o do estilo da escrita o livro inteiro, mas isso não me impediu de achá-la boa e eficiente. Gostei bastante dos "finais alternativos" espalhados pela história também, e os personagens me agradaram muito, em especial o próprio protagonista, o Luiz (teve uns momentos em que senti um pouco de pena dele - Marcos, de quem também gostei, não é exatamente uma pessoa fácil). 

Admito, porém, que o que me deixou mais interessada na história mesmo foi o plot. Todo o mistério envolvendo Marcos e a foto encontrada por Luiz foi muito bem feito, e eu fiquei curiosa durante todo o livro. Como disse lá em cima, não sou exatamente fã de histórias com elementos fantásticos que se passam em nosso mundo, mas Capital Revelada é tão diferente do que estou acostumada a ver que no fim das contas isso não me incomodou nem um pouco. Achei os caçadores de emoções muito interessantes mesmo e todas as cenas em que eles estavam em ação foram excelentes. 

O único defeito do livro, pra mim, é que faltou um pouco de senso de urgência, acho. Não que precisasse ser aquela coisa desesperadora, mas quando eu fechava o livro passava até alguns dias sem voltar porque literalmente não tinha pressa de continuar lendo. Quando eu voltava, porém, lia um bocado - tanto que devorei 50% da história de uma tacada só. Mas uma vez que eu parava, a vontade de voltar não vinha. 

Ou seja, faltou esse "gancho", por assim dizer.

O fim foi ótimo e deixou algumas coisas em aberto, então acho que outro livro no mesmo universo é uma possibilidade. Mal posso esperar para lê-lo. 4.0 estrelas para Capital Revelada.

Você pode gostar de:

2 comentários

  1. Muitas referências também passam batidas por mim, especialmente porque dificilmente consumo outras mídias além de livros (como quadrinhos, jogos, seriados e filmes).

    Também baixei esse livro quando estava gratuito, e a premissa me deixou bem interessada (adoro fantasmas); bom saber que o livro é legal e a escrita boa.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As referências passam batidas por mim justamente por esse motivo mesmo: leio principalmente livros, e mesmo os livros que eu leio são sempre no mesmo nicho/gênero/estilo, então desconheço muito coisa KK

      Abraço!

      Excluir

Formulário de contato